15 de mar de 2010

Insensatez

Nem que eu tivesse todos os braços do mundo, seria suficiente para te abraçar, nem que eu tivesse todas as dores do mundo você poderia me ajudar.

Meus abraços são mais longos que os seus.

Então eu te disse, à meia luz, do meu amor sem pudores, sem remorsos, afogada em tantas lágrimas que eu poderia chorar, porque meu amor é bonito demais.
Mas você achou aquilo tudo muito triste e chorou também, porque você não sabia me amar.

Então você permaneceu. E ficou me olhando com seus antigos olhos facetados e analisando todos os meus vícios passados, meus destemperos. Medindo nossos espaços vazios.

E assim se passou nossa noite, cheia de abraços partidos, acuados, lambendo nossas feridas.