4 de jun de 2012

civilidade

Então, de repente. E sim, eu posso usar de repente, de novo, se eu quiser.
Eu tive certeza de que os efeitos do eclipse lunar em sagitário, devastadores evidemment, chegariam por e-mail.

Claro, para todos os efeitos, crises astrológicas seriam deflagradas no meu correio eletrônico. Parfois, elas poderiam ser enviadas via sms.

Ou um número desconhecido me ligaria domingo à noite e seria meu fim. Afinal o peso de uma ligação desconhecida segunda de manhã e domingo à noite difere selon a imaginação do sujeito. E conhecendo o sujeito que antecede o verbo, criador e criatura, já era de se esperar a tormenta.

Bem, esperando minha carta bomba via gmail, cogitei que as notícias pudessem ser positivas. Uma proposta de emprego de uma empresa para a qual eu nunca havia enviado meu cv. Uma declaração de amor de um ex-amor que nunca me amou.

Podia ser também a morte de um conhecido ou o aviso da minha própria morte formalizada: cara mademoiselle alinê, É com muito pesar que lhes informamos que sua estadia entre nós chegou ao fim. Obrigada pela atenção e esforços empreendidos a fim de....

Eu não tinha essa resposta. Afim de que, afinal?

Aí pensei em pegar uma bike, dar uma volta na orla, mas ei orlinha escrota, cheia de turistas escrotos e gente meio doidinha. Dei uma mordida no meu chocolate, botei meus ears plugs, ei lugar barulhento. Ei essa minha mania de viver na periferia.

Olhei bem a parede salmão mesclado, olhei o quadro de um senhor de barba que não significa nada para mim, o armário velho, o computador sujo, o chão sujo, o armário sujo, as roupas no balde para lavar, a mala sem rodinhas, os livros não lidos, minha cara no espelho.

Mentira. O espelho estava longe e eu não tive motivação para me levantar.

Resolvi lavar as roupas que estavam no balde. Tive semi-nojo da pia, mas fiquei com preguiça de lavar, ahhh mas foda-se.
Lavei, pendurei no varal mais sujo que o chão.

Sabe, podia fazer o caminho de santiago. Podia sei la, trabalhar na Unipaz. E ter uma casa. E se tivesse, que quadros penduraria na parede?

Tais reflexões me tomaram em torno de 10 minutos, que pareceram eternos. Ainda se eu não tivesse parado de fumar, poderia ter pensado nisso em três ou quatro tragadas, mas né? Eu e essa mania de mudar de ideia.

Isso me lembra aquela professora, aquela que disse que eu não poderia terminar um texto daquela maneira, sem conclusão, que não fazia sentido. E do francês ofendido porque o convidamos para beber 7 da noite e não tinha comida. E ele disse que isso era uma gafe porque 7hrs é hora de jantar na França.

Então porque você não enfia o dedo no cu e cheira? Pensei sorrindo e lhe passando gentilmente o pratinho de nuts que vinha junto com nosso vinho rose escroto. Tomei mais uma taça com uma pedra de gelo, que une copine tinha sugerido, pois o vinho estava muito forte. Uhmmm, claro, um vinho muito forte para mim, sim coloque uma pedrinha também, Sandy.

As vezes eu sou tão patética. Podia fazer teatro. Se isso não implicasse em ficar nua num palco ou beijar mulheres ou olhar a propria buceta em espelhos em círculos. Ta bom, sei lá se atores fazem isso. Mas não a fim de fazer esse bagulho todo ai. Desde pequena, eu era diretora das peças de teatro, nunca atriz. Eu quero é mandar. E tai o primeiro pre-requisito para o meu novo emprego. Ser bossy.

O segundo é escrever e ter leitores.

O terceiro é a oitava do amor, a carta do rei de copas, os nossos corpos desengonçados em tranches na sua cama. Você dizendo em ré menor, eu te amo enquanto on fait l'amour,
dis-moi, car je ne sais plus.

Je t'aime, sua pequena vadia suja.