23 de jun de 2010

Entardecer

Eu seguia as pistas do teu amor pelas esquinas.

Fechava os olhos e tentava capturar, em minhas mãos molhadas, o aroma do teu sexo.

Eu negava minha condição.

Seguia inebriada pelas ruas, caminhando a passos curtos, buscando as falhas do asfalto e considerando muito cafona a arquitetura das árvores.

A logística dos pássaros, os movimentos da minha sombra.

Tentava, recorrentemente, preencher o vazio dos meus seios com a espuma da lembrança da tua voz, que escorria lenta, fria, improvável.

Todas as tecnologias me pareciam antiquadas e, vez ou outra, me pegava procurando por cartões telefônicos na carteira para ligar na sua rua.

Eu conseguia me imaginar em uma grande calçada, de uma grande avenida, sozinha, com o coração em paralisado ao bater de cada ponto que diminuia.

Até hoje considero este fato um grande mistério.

Eu nunca consegui, e hoje tenho quase certeza, exprimir em palavras o que aquela sensação de abandono significou.

Tampouco, consegui diminuir sua intensidade a cada vez que retornava. Sempre me pareceu, e isso é naturalmente estético, como um grande bicho disforme e sem cor que corroía minha carne peito adentro.

Já não importava muito por qual caminho eu deveria seguir, ou qual passo deveria ser o próximo.

Ainda, manter a respiração segundo após segundo, tornava todo o processo dilacerante, lento, sem vida.

A possibilidade, ainda que remota, de poder resgatá-lo novamente, era o combustível de meu andar.

A sensação de vida, que persistia no canto da minha boca, só se tornava real ao pensar que ainda haveria um momento de redenção.

Eu não sabia escrever o fim.

13 de jun de 2010

por falar em paixão, em razão de viver.

Hoje gostaria de contar uma história de amor pra você dormir. Queria te contar meus segredos afundada em seus lencóis. Sentir seus cachinhos entrelacados em meus dedos frios. Você esquentando a ponta do meu nariz. Dividindo a melhor parte do seu jantar. Durante tantas noites quero segurar na tua mao e sentir seus pés procurando o meu. Olhares de suor enquanto você segura meus peitos. Falar baixinho por suspiros e saber seu timing. exatamente como você sabe o meu. Encaixar meu quadril em seus bracos, beijinhos no pescoco.
Rir de sua mao em meu braco, das suas caretas, das coisas que você inventava pra me ver sorrir. Assistir todas as séries de TV do mundo, passar madrugadas inteiras ao lado de sua cadeira, aprender todos os jogos de tabuleiro, cantar sobre feras desgovernadas, esfregar suas costas, baguncar seu cabelo que é todo lindo-lindo-sarará, roubar suas cobertas a noite, esperar você fumar seus cigarros, ouvir você me contando sobre as últimas novidades no modo, me enchendo de orgulho das suas últimas criacoes no 3d, ficar sentindo o cheiro do seu peito e rindo de doer a barriga até você parar de me fazer cócegas.
Mensagens pra desejar bom dia, relembrar mil vezes a noite que nos conhecemos, trocar olhares e piadas que só nos dois entendemos. Tomar seus cafés. xicaras de chá de madrugada. Cuidado ao falar, atencão a sua respiracao, sorrir ao te ver levantar, dormir enroscada no teu amor. O meu amor por você. Namorado. graca. Toda tua.

Feliz Dia dos Namorados.